Ucrânia deteve um "hacker", suspeito de participar de tropas russas

O Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), agência de inteligência ucraniana, anunciou no dia 15 que deteve um "hacker" que estaria envolvido na transmissão de comandos de tropas russas para tropas através de uma rede de telefonia móvel. Os detidos supostamente ligaram para oficiais russos, incluindo oficiais militares de alto escalão, "milhares de vezes" e enviaram e-mails curtos para oficiais ucranianos para incentivá-los a se render. A SBU não divulgou a identidade do suspeito. O equipamento apreendido foi usado para conectar o tráfego de telefones celulares ucranianos à rede russa, de acordo com uma agência sênior de segurança cibernética do governo ucraniano. Enquanto as tropas russas continuam a bombardear Kiev, capital da Ucrânia, também há batalhas entre hackers pró-russos e pró-ucranianos pela rede de comunicações ucraniana. Na semana passada, um grupo de hackers quebrou o Triolan, um provedor de serviços de internet que atende as principais cidades da Ucrânia. A empresa sugere o envolvimento da Rússia como um trabalho "inimigo", mas não fornece evidências para apoiar essa afirmação. As redes de telefonia móvel são de particular importância para o pessoal não militar ucraniano que se oferece para combater o exército russo, mas não tem acesso a equipamentos táticos de comunicação, de acordo com Carmine Sicalise, comandante do ciberespaço e operações de inteligência no quartel-general do Exército dos EUA. Não só isso, ser capaz de se comunicar com amigos e familiares é essencial para manter o moral. Separadamente, em 24 de fevereiro, antes e depois da invasão da Ucrânia pelo exército russo, o modem de satélite da Viasat usado para fornecer serviços de Internet na Europa, incluindo partes da Ucrânia, foi atacado por um ataque cibernético.

Ucrânia deteve um "hacker", suspeito de participar de tropas russas